Guia de etiqueta para clientes

Posted by on Feb 25, 2015 in Dicas

Durante um ano da minha vida, eu estive dos dois lados da história: fornecendo produtos e serviços e usando produtos e serviços para o meu casamento.

E um dos meus maiores objetivos como noiva era não me tornar uma bridezilla. Eu sou ansiosa, perfeccionista e gosto das coisas do jeito que eu quero. Ou seja, eu sei que sou chata. E eu sei que da mesma forma que os clientes conversam entre si sobre os fornecedores, os fornecedores também conversam sobre os clientes. A gente sabe do cliente que é super querido, animado, feliz, que sabe se expressar… e dos que não são bem assim. A gente só não tem um grupo do face pra fofocar sobre isso (que eu saiba!)

Então, levando isso em consideração, quando eu precisava reclamar ou cobrar  algo eu sempre pensava nos dois lados. Acho que me saí bem (pelo menos até os últimos 15 dias antes do casamento!)

Separei aqui algumas situações em que eu me policiei (as 4 primeiras) e mais duas que eu achei que já fizessem parte do senso comum das pessoas.

1 – É uma relação de interdependência

Sim, o profissional depende de você, mas você também depende dele. E pra cuidar de um pedacinho de um dos dias mais importantes da sua vida. Quanto mais legal é sua relação com ele, mais empolgado ele vai ficar em fazer o seu casamento o evento mais lindo e perfeito possível (e você pode até ganhar uns mimos a mais do que pagou)

2 – Horário de trabalho

A Lei Áurea foi assinada em 1888 e, pelo menos aqui na Emotion, nós não adotamos os métodos de trabalho da China. Acho que hoje em dia muitas pessoas prezam pela qualidade de vida, lazer e tempo em família: coisas que o dinheiro não compra. Respeitar o horário de atendimento da empresa é sempre de bom tom. Mesmo se o fornecedor te passou o número do Whats App ou adicionou no facebook. Já pensou você bem de boa assistindo um filme com seu noivo e chega um whats do seu chefe?! É bem chato. Se a padaria está fechada a gente não consegue enviar um Whats pro dono: “Oi! me deu uma fome e eu estava aqui pensando, amanhã você podia fazer sonho de goiabada. O que acha! Bjsss”, né? Eu sei que a vida da noiva vira casamento 24h por dia. Mas se a ansiedade é muita, manda um email que ele será lido e respondido no horário de atendimento.

3 – Exclusividade

Alguns profissionais são de uso exclusivo no dia do evento, por exemplo: fotógrafo, cerimonial, maquiadora, dj, buffet, etc. Por isso, dentre outros motivos, tem um valor um pouco mais alto pois eles tem um limite de clientes que pode atender por vez. Outros serviços, tipo vestido, acessórios e convite, atendem vários clientes por vez. Então, assim como a tia do jardim I ensinou, tem que entrar na fila. Pra ajustar o vestido, pra fazer a arte do convite, pra montar o álbum de foto, etc. Entenda isso e aceite. Todos os casamentos são importantes e todas as noivas também, é bem complicado priorizar uma ou outra (salvo pela data do evento).

4 – Não queira ensinar o padre a rezar a missa

Os fornecedores lidam com seu trabalho todos os dias. Eles já tem experiência, sabem o que funciona e o que não funciona. Claro, o seu gosto é super importante e ideias são super bem vindas! Mas ouça as dicas que cada um pode dar dentro da sua área de atuação. Por exemplo, tem noivos que chegam aqui: “a gente desenhou o monograma”. Mas por que? Vocês me pagam pra isso! Ou ficar escolhendo onde colocar tal mesa, tal arranjo, a cor da toalha… Eu contratei o pessoal da decoração pra isso, eles que se virem! Só pedi pra deixar bonito. Você contrata os fornecedores pra eles se dedicarem e trabalharem no seu evento, não queira trabalhar por eles. Eu sei que às vezes os clientes querem ser solícitos e ajudar, mas pode acabar privando o fornecedor de fazer algo ainda melhor que vocês pensaram. Já fiz o teste várias vezes, alguns cliente chegam aqui com o convite montado na cabeça, materiais, cores e layouts. Tudo bem, faço como eles pedem mas acrescento minha sugestão pessoal. Adivinhem qual é a escolhida em 99% dos casos? O convite da Danaê e do Fernando era pra ter um laço dourado, e ela bateu o pé que queria dourado. Tudo bem, mas na provinha coloquei a azul ~só pra ver~. Ói que lindo que ficou! (esse exemplo foi autorizado pela noiva)

Enxoval de papelaria personalizada casamento Danaê e Fernando

Enxoval de papelaria personalizada casamento Danaê e Fernando

5 –  Não desmereça o setor dos fornecedores

Entendo que cada um tem seu orçamento e prioridades e às vezes temos que escolher mesmo onde economizar. No meu casamento foi assim, mas os fornecedores que eu escolhi não pagar muito não sabem que eles foram escolhidos escolhidos pelo preço. Nunca disse: “Não quero gastar muito em tal coisa, porque não sei o que”. Isso desmerece qualquer trabalho como se não fosse importante. E o seu evento dura 8 horas, tudo é descartável. Eu escuto muito e recebo nos emails assim: “quero bem simples e não quero gastar muito porque as pessoas jogam fora”. Os fornecedores não precisam saber das suas restrições e falar, por exemplo: “está fora do meu orçamento, você consegue melhorar esse valor ou me dá alguma opção em conta?” É uma boa saída. Aí como já comentei nesse post, o casamento super pode ser adequado ao orçamento destinado para ele, mas para isso você pode ter que escolher alguns serviços por preço e não pelo seu gosto. Não adianta se iludir que os fornecedores (de confiança) vão te oferecer a mesma coisa por um valor menor, o que pode acontecer é achar soluções para baratear. Se ele for um fornecedor sério, o valor cobrado é baseado em cálculo de custos fixos da empresa + despesas + lucro e tem uma razão de custar aquilo, dar super desconto ou cobrir ofertas pode levar a empresa a falência ou dar golpes, caso daquela floricultura em 2013, lembram?

6 – Leia

As redes sociais não são só para zoeira. Elas estão aí para passar informações também e algumas empresas contratam uma outra empresa especializada em fazer essa comunicação: um pouco para divulgar seus serviços e um pouco para informar os cliente e possíveis futuros clientes. E aí acontece assim: a empresa posta uma foto com o valor no texto, e o cliente: “Quanto?” -> Está no texto. Ou “Se interessou? Envie um email para blablabla@blabla.com.br” e a pessoa comenta: “Quanto?”. Às vezes os fornecedores não querem deixar o valor exposto… Às vezes querem um contato mais pessoal, via email com os possíveis clientes (porque tem que rolar uma afinidade para o trabalho sair legal)… Então ler é importante! Leiam as legendas, o site, o blog ( =) ) as revistas, os flyers… O site da Emotion é super completinho, tem informações sobre serviços, dúvidas frequentes, sobre mim, sobre os produtos, e alguns produtos tem valores. Se aproveitem disso na hora de conhecer as empresas, coletar o máximo de informações possível e selecionar os fornecedores que mais tenham a ver com vocês para o grande dia! (e para tudo na vida, na verdade!)

 

 

 

 

 

 

2 Comments

  1. Pollyana
    22/09/2015

    Olá, vim aqui para te dar PARABÉNS pela coragem em dizer tudo isso. Sou fornecedora do mesmo segmento e passo por essas situações todos os dias. Você teve a coragem de dizer tudo o que eu precisava dizer, de uma maneira bem natural. Seria ótimo se todos os clientes entendessem e pudessem trabalhar conosco de outra forma, com horários, na “fila” como vc disse. Adorei muito muito isso! E queria poder compartilhar, claro se você liberar! =) Beijinhos, Polly.

    Reply
    • Dani Dalledone
      23/09/2015

      Oi Pollyana, tudo bem? Obrigada pelos parabéns! Te sigo no instagram, inclusive você já repostou imagens minhas, né?! Na verdade eu pensei muito antes de escrever esse post, muito mesmo, ficou meses nos rascunhos. Mas vendo diversas situações comigo, com outros fornecedores e até em outros setores eu fui vendo que parece que as pessoas estão perdendo a educação e principalmente o bom senso. O que importa é somente o próprio umbigo. A gente escolhe nosso trabalho por amor, mas isso não significa que somos “escravos” ou precisamos aguentar qualquer tipo de situação (como se já não bastasse os imprevistos e problemas enfrentamos no dia-a-dia). Então escrevi. O post não é o mais acessado e não sei se perdi clientes por causa dele. Mas acredito que se perdi são pessoas que não gostaram do que foi escrito porque acham normal ou aceitável. E esses clientes foram substituídos por casais muito queridos em que o projeto corre tranquilamente e de forma muito legal, inclusive fico triste sempre que o casamento chega pois não trabalharemos mais juntos. Graças à Deus esse ano não tenho absolutamente nenhuma reclamação referente a nenhum cliente, todos muito fofos e compreensíveis <3 Pode compartilhar sim, só peço que não altere o texto e dê os créditos para a Emotion, e também com o link. Abraços, Dani.

      Reply

Leave a Reply